Rémora

rémora juvenil fotografada na Meia Praia em 2017.04.15


A rémora é um peixe sem considerável critério próprio pois limita-se a ser conduzida pelo seu hospedeiro/transportador, revelando uma existência assente num manifesto oportunismo. Anima-a episodicamente um elementar sentido de sobrevivência que suscita um movimento rápido para voltar a prender-se ao hospedeiro quando, por algum motivo acidental, se desprende dele. São, pois, esses “golpes de rins” bruscos e salvíficos a sua única manifestação digna de registo. Nesse particular lembra alguns políticos de segunda categoria que só se mantém quando agarrados a um hospedeiro/condutor e que, logo que se perdem destes, ou os abandonam por qualquer motivo, acabam por dar à costa depois de uma aflitiva e exaustiva busca por um novo patrono.
A rémora da Meia Praia era apenas um juvenil cansado e confuso que insistia em acometer para o areal, indo ao encontro da morte, mau grado as tentativas realizadas de a levar de volta a águas mais profundas.
Neste giro infinito de comportamentos básicos que animam todas as espécies do reino animal resta-nos considerar que são os humanos, com a sua capacidade de desempenho racional e irracional, que copiam os seres mais elementares da Natureza, e não o contrário.
Conheço muitas rémoras que por aí andam, à boleia, mas esta foi a primeira vez que fotografei e filmei uma do universo aquático.

Lixo no Mar


Se não reduzirmos os níveis
actuais de poluição 
em 2050 os mares 
terão mais plástico do que peixe.

Boa Esperança faz estrago em Vigo

Accidentada llegada a Vigo de la nao "Boa Esperança"

«Los portugueses se llevan a los Duques de Alba por delante .... Boa Esperanza... No les entro la inversora y cuanto más aceleraban para ir atrás, más iban avante. Hay que aclarar que no son portugueses, repetimos no son portugueses como dice la prensa, los marinos y el patrón son españoles, concretamente de Andalucia»

ler aqui a notícia

Izado de la pasarela desde una grúa. / Foto: Puerto de Vigo


Energia das ondas com tecnologia portuguesa



«Temos o movimento de subir e descer, e depois tem um cilindro no interior que guia uma caixa de mudanças, que movimenta geradores, que transmitem a energia por um cabo para terra»

Notícia  aqui e aqui

Algarve - Passeios de barco movido a energia solar

foto da Sun Concept

«Equipado com dois motores eléctricos e seis painéis solares, o Sun Sailer navega pelas águas calmas da Ria Formosa de forma totalmente eficiente.»

Picado daqui



Das Pescas e da Indústria Conserveira

O Declínio das Pescas e da Indústria Conserveira não foi um resultado da integração de Portugal na CEE. Estas actividades já apresentavam problemas estruturais e conjunturais na década anterior.

recortes da Revista Algarve Ilustrado de Agosto de 1971


Bandeira de conveniência

Se funcionar, é uma boa alternativa ao excesso de legislação, de exigências absurdas, e de taxas e impostos duplicados existentes em Portugal.


Clicar aqui para aceder ao sítio


Sismologia



Sismicidade e tectónica em Portugal

«Portugal, no contexto da tectónica de placas, situa-se na placa Euro-Asiática, limitada a sul pela falha Açores-Gibraltar (FAG) que corresponde à fronteira entre as placas euro-asiática e africana e a oeste pela falha dorsal do oceano Atlântico.
(...)
O movimento das placas caracteriza-se pelo deslocamento para Norte da Placa Africana e pelo movimento divergente de direcção E-W na dorsal atlântica. Na zona mais ocidental da fractura Açores-Gibraltar (FAG) encontra-se a junção tripla dos Açores e a Sudeste da ilha de S. Miguel a fractura toma uma direcção E-W, com movimento de desligamento e é conhecida por Falha da Glória. Um pouco mais para oriente, na zona do Banco de Gorringe, o movimento de desligamento passa a cavalgamento da placa euroasiática sobre a placa Africana. Para oriente abandona-se o domínio oceânico e entra-se no domínio continental com convergência continente-continente.
Devido a este contexto tectónico, o território português constitui uma zona de sismicidade importante.
Na zona mais ocidental da fractura Açores-Gibraltar, na junção tripla dos Açores, a sismicidade que se faz sentir está relacionada quer com o vulcanismo quer com a movimentação interplacas. A Sudeste da ilha de S. Miguel, a Falha da Glória tem um comportamento assísmico o que pode ser devido à reduzida taxa de movimento que poderá provocar sismos de grande período de retorno. Na zona de cavalgamento a sismicidade é difusa, não delimitando bem uma zona de fronteira, evidenciando um mecanismo complexo de fronteira de placas.
A sismicidade observada mostra que a actividade sísmica do território português resulta de fenómenos interplacas e de fenómenos localizados no interior da placa (sismicidade intraplacas). Aqui, ao contrário da sismicidade interplacas que se caracteriza por sismos de magnitude elevada e grande profundidade, a sismicidade é baixa a moderada e mais difusa, sendo difícil a relação directa entre as falhas existentes e os epicentros dos sismos.
(...)
Como já foi referido, além da sismicidade associada à fronteira de placas, existe actividade sísmica significativa no interior do território português causada pela própria tectónica do território. Neste contexto intraplacas podem salientar-se como zonas sísmicas mais importantes:

(ii) a região do Algarve, onde os sismos de Novembro de 1587 e de 12 de Janeiro de 1856 provocaram grandes estragos no sotavento algarvio e onde o sismo de 1722 provocou grandes estragos materiais e humanos desde o Cabo de S. Vicente a Castro Marim...»

texto completo aqui


Feira de Barcos - Novos e Usados

Imagens da Feira de Barcos Novos e Usados, organizada pela Soproyachts na Marina de Lagos, em 26 e 27 de Março de 2016. Felizmente, nesta terra, há que faça alguma coisa em torno do cluster MAR.













Serpente do mar, peixe remo ou "oarfish"

Quando há uns 3 anos vi, pela primeira vez, fotos deste peixe julguei tratar-se de fotomontagem. Afinal existe mesmo e é um peixe muito interessante. Aqui ficam umas fotos picadas da net.







e o link para saber mais, aqui e ver filmes  aqui e aqui